Advogado prova inocência e cabeleireiro é posto em liberdade

Foto: José Dilson - euclidesdacunha.com
Preso na última sexta-feira, por força de um mandado de prisão em seu desfavor expedido pelo juízo da Comarca de Tucano, a pessoa de Odair José Pereira Lima, mais conhecido como Odair cabeleireiro, passou o pior final de semana de toda sua vida, ao ser preso por agentes policiais civis da 25ª Coorpin, enquanto trabalhava em seu estabelecimento na Rua Major Antonino, região central da cidade.
 
A notícia repercutiu rapidamente nas redes sociais e na imprensa local, regional e surpreendeu à sua clientela, pois tratava-se de episódio envolvendo um profissional do meio hair fashion, com cursos e capacitações feitos em São Paulo, onde se profissionalizou e periodicamente vai à capital paulista para atender aos vários clientes que lá deixou, especialmente mulheres, além de aprender novas técnicas de corte, tintura, tratamento, etc., segundo revelou ao repórter José Dilson Pinheiro, do site euclidesdacunha.com, com quem conversou pessoalmente na manhã desta terça-feira (13), em sua residência e local de trabalho.
Ainda abatido pela situação de constrangimento por qual passou, Odair - que na imagem aparece ao centro de boné- revelou para este repórter, que fora vítima da maldade de um seu irmão de nome José dos Santos Pereira Lima, mais conhecido como “Zé lito”, este sim, com problemas não resolvidos perante a Justiça, que se apossara sem o seu conhecimento e consentimento, de uma cédula de identidade antiga, desde 1974. A partir de 1976, ao retornar de São Paulo, onde residia, passou a fazer uso de forma fraudulenta do documento, ao se passar por Odair José Pereira Lima, cometendo o crime de estelionato, quando retornou para o Município de Tucano.
 
Odair teve a sua inocência rapidamente provada, graças a habilidade do advogado que contratara em Salvador para defendê-lo, inclusive, provando que as assinaturas de intimações expedidas pela Justiça e não cumpridas por “Zé lito”, não se assemelhava com a assinatura de Odair, entre outros argumentos.
 
Prejudicado pela divulgação do triste episódio, inclusive com o cancelamento de vários atendimentos agendados para o final de semana e até para esta terça-feira, em número de três, cujos clientes não apareceram, Odair espera tê-los de volta e, assim, retomar as atividades normais do seu salão, por conta da justiça que lhe fora feita e a reparação do erro. 
 
Aproveitou para agradecer às pessoas que demonstraram solidariedade e acreditaram na sua inocência. “Agora, passados esses quatro dias de pesadelo e estou novamente ao lado de minha esposa, filhos e irmão, todos juntos no trabalho, espero novamente contar com a confiança das pessoas, dos nossos clientes, já que ficou provado que sou um cidadão trabalhador, pai de família e inocente”, finalizou.
 
*Esclarecido o fato e diante da prova de inocência apresentada e aceita pela justiça, o site euclidesdacunha.com removeu a parte da reportagem que continha, entre outros, a prisão de Odair José.
 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/1951