Buteco do Dadá fez dois forrós pé de serra neste final de semana

FOTOS: José Dilson Pinheiro - euclidesdacunha.com
Sem festa de carnaval em Euclides da Cunha, nada como curtir um forrozinho autêntico pé de serra no Buteco do Dadá, espaço musical e cultural criado pela direção do Bamba Restaurante Fast Food em parceria com músicos sanfoneiros, percussionistas e cantores de forró, que visa resgatar e manter viva a tradicional música originalmente nordestina, preservar e manter muito vivo este espetacular ritmo criado pelo eterno rei do baião, Luiz Gonzaga.
 
Neste sábado (10), mais uma vez, o mestre Cezário do Acordeom comandou a galera forrozeira, tocando em seu acordeom de 120 baixos, muito forró autêntico e até alguns frevos pernambucanos e baianos ritmados pela zabumba e triângulo, numa mistura de instrumentos pouco comuns para este tipo de música, que deixou a plateia maravilhada. Além de a participação de seus convidados que costumeiramente frequentam o local e voluntariamente participam desta proposta conservadora do mais tradicional ritmo e gênero musical nordestino. 
Por motivo de compromisso profissional, Paulo do Acordeom não pode participar, no sábado anterior, desta vez, compareceu acompanhado do também sanfoneiro Barão, uma grata revelação da música euclidense, executor de acordeom, assim com o seu pai Raimundo do Belo, também herdou o bom gosto pela sanfona. Barão, desta vez, preferiu tocar zabumba e triângulo para os mestres Cezário e Paulo.
 
Rabelo Gonzaga (vocal), Nego de Mané Preto (vocal e triângulo), Marcos (zabumba e triângulo), Gladival (vocal), Toínho de Bina (zabumba e triângulo), além de Rivelino, cantor e compositor euclidense, que fez uma belíssima participação interpretando grandes sucessos dos mais consagrados nomes da música popular nordestina, além de trabalho autoral, compartilharam com a plateia mais um ótimo momento de forró pé de serra. 
A tarde-noite de sábado de carnaval foi, também, de muito forró de qualidade em Euclides da Cunha que, mais uma vez, reuniu empresários, profissionais liberais, funcionários públicos, professores, comerciantes, casais de namorados, jovens, famílias que levaram até crianças para vivenciarem cinco horas de forró de altíssimo nível. A coisa foi tão boa, e não poderia jamais ser de outra forma, que se repetiu também no domingo, sob o comando dos mestres Cezário e Paulo do Acordeom, Nego de Mané Preto, Barão, Marcos, Júnior, Toínho de Bina, Jackson Oliveira - percussão: zabumba, triângulo e vocal, além de a participação de Felipe Ferraz, que cantou grandes sucessos do forró pé de serra, além de Gizânia Lima, uma excelente e experiente vocalista, que dividiu com Nego de Mané Preto, os aplausos da plateia. 
 
Canário de Canudos, em respeito ao luto pela perda do querido irmão Linaldo, ocorrido há menos de um mês, não cantou, mas manifestou apreço pelo projeto de resgate e preservação do forró pé de serra, do qual é um dos melhores intérpretes.  
Quando, já quase meia-noite, com o forró dando sinais de que terminaria mais uma jornada de sucesso, eis que chega Ivan Silva, compositor e cantor de forró de repertório eclético, ótimo intérprete, atualmente considerado o melhor vocalista de forró da região. Ivan fechou a programação musical da noite, que se estendeu um pouco mais, depois de receber os aplausos da plateia e, para atende-la, ‘forrozou’ mais um pouquinho.
 
*As fotos deste evento estão disponibilizadas na página Tô no Site/euclidesdacunha.com

 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2336