Luan Santana: Como o perdão pode salvar sua vida

Imagem: Reprodução
Pedro era um homem moderno, daqueles que enfrentava tudo a ferro e fogo. Era impetuoso, cheio de bravura e determinado. Vítima da ausência por parte de seus pais, ele aprendeu a viver sua vida sozinho, confirmando diariamente em seu coração que não precisaria de mais ninguém para ser feliz.
 
Com 30 anos, Pedro estava a ponto de conseguir o que mais desejava: o prêmio de maior empreendedor de sua cidade. Era de valor inestimável, pois tinha ali o reconhecimento de todas as lágrimas e suor acumulados ao longo de anos.
 
Ao subir no palco e olhar para aquelas pessoas, ao invés de alegria, Pedro sentiu um tremendo vazio. Aquilo não resolveu nada, não lhe curou dos seus traumas e nem lhe deu um alento quanto ao seu passado. Ele chorou amargamente, pois naquele momento ele entendeu o peso de sua solidão. Havia um prêmio, mas ninguém a compartilhar.
 
Passou-se algumas semanas e aquela angústia não o deixava. E sufocado pela agonia, Pedro abre a gaveta da sua cômoda para pegar seu ansiolítico e ao lado da caixa tinha uma pequena anotação: “Não apenas perdoar 7 vezes ao dia, mas digo 70 vezes 7”. Era uma conta que aquele homem, mestre em contabilidade, não entendia. Afinal, “quem seria tolo de perdoar tantas vezes a mesma pessoa?”, pensou após fazer a leitura.
E raciocinando sobre isso, ele caiu em si, pois percebeu que embora seus pais não estivessem em sua vida, a ausência deles ainda marcava sua existência. A mágoa que tinha deles se renovava todos os dias e sobre esse conflito ele construiu sua história. Aquela conta de tolo então fez sentido. Não devemos apenas perdoar o que nos fazem, mas também todas as vezes que pensamos no que nos fizeram, por isso que era necessário tantas vezes ao dia. 
 
O Perdão, portanto, era um exercício de pequenas doses diárias, pois o que determina a importância de uma dor é o que fazemos depois que ela nos acontece, se buscamos a cura ou não. Se ficamos preso a ela ou se damos um jeito de seguir em frente e refazer a nossa vida.
Escolha perdoar!
 
Até semana que vem, pessoal.
 
*Psicólogo Luan Santana. CRP: 03/11290 - Cel.: (75) 9 9895-4918

 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2651