Juliana Maria: Amar, verbo ação

Amar. Do latim amare. Verbo de ação transitivo direto e pronominal. Adorar; possuir afeição por; demonstrar adoração por; Apreciar; demonstrar estima; gostar.

Amar é um verbo de ação. Ação é disposição para agir, atividade, energia, movimento. Assim, não é possível amar sem ação, sem demonstração. Amar não tem relação alguma com a inércia.

A sociedade moderna está a todo o tempo exigindo de nós realização, trabalho, sucesso, dinheiro e é deveras difícil romper com um sistema que se impõe diariamente e nos envolve de tal modo que não nos damos conta do seu potencial. É praticamente impossível romper com essa maneira automática em que vivemos. Nesse contexto, amar custa caro e nem sempre estamos dispostos a pagar o preço de fazer esta escolha.

Já não temos mais tempo, nem motivação para amar. Amar exige a saída da nossa zona de conforto. Amar é o resultado duma escolha, por vezes mais difícil e por outra mais fácil, exige sem conta, até aos nossos últimos dias, a nossa entrega.

Amar é estender a mão, levantar os que se encontram caídos à beira do caminho.

Amar é dividir o pão. Dividir o tempo. Se importar. Amar é compartilhar.

Nessa sociedade adoecida pela intolerância, pelo racismo, pelo ódio, pela insensibilidade e pela indiferença é urgente compreender que amar é um verbo de ação, um exercício diário, uma escolha necessária.

Precisamos estar dispostos a amar, começando com pequenos gestos, pequenas mudanças. Um sorriso, um bom dia, uma mensagem, uma ligação, uma palavra gentil, uma cortesia. Doe-se! Doe seu tempo a quem precisa de você. Mas não se esqueça de que se doar é também se dedicar. Dedicação demanda tempo, disponibilidade, vontade. E acima de tudo, escolha! É preciso escolher amar, sem distinção, sem acepção, sem separação.

Amar nunca é nem será Fácil, mas sempre será recompensador, mesmo que apenas para nós mesmos afinal, amar é virtude de quem ama. Mesmo que, agora o nosso ponto de vista limitado e humano não nos permita ver. Mesmo que só percebamos e colhamos os frutos dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos depois…

Ainda assim, vale a pena escolher amar.

E nunca se esqueça: Quem escolhe amar da sempre o seu melhor.

“Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

Juliana Maria

13.07.2020

#FiqueEmCasa

Juliana Maria é servidora pública, discente do curso de letras da Universidade do Estado da Bahia, nordestina de coração, alma e espírito, mãe solo, cristã protestante, Líder de Jovens da Primeira Igreja Batista em Euclides da Cunha e nas horas vagas “escrevinhadora.”

Uma resposta para “Juliana Maria: Amar, verbo ação”

  1. Creio que JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS, nos dá o exemplo de AMOR mais pleno, por AMOR à humanidade pecadora entregou-se até a Morte e Morte na Cruz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *