Primeira safra de feijão em 2021 não gera boas expectativas

O feijão deve chegar com preço alto nas prateleiras dos supermercados brasileiros.

A produção do feijão pode ter uma queda de 10% na primeira safra de 2021, de acordo com o Ibrafe (Instituto Brasileiro de Feijão) e o alimento imprescindível no prato do brasileiro poderá ter alta no seu valor de mercado.

Considerando fatores climáticos não propícios, redução da área do plantio pelos produtores agrícolas, o aumento do consumo em decorrência do isolamento social e os estoques esvaídos com a previsão do declínio da primeira safra do feijão conduz o possível preço elevado nas prateleiras dos supermercados.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), revela que mesmo com a perspectiva de queda na primeira safra, sendo que o Brasil tem três produções anuais, haverá 3.250 mil toneladas de feijão, o que significa um aumento de 0,9% em comparativo ao ano precedente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *